sexta-feira, 1 de maio de 2009

Carta de Isadora - Caroline Mendes

Carta de Isadora

Tomei a liberdade
De entregar-lhe esta carta;
.À pedido de agoniada
Dor da saudade.

Onde estou, não importa!
Estou lá, estou cá,
.Em todo lugar!
- Ou longe da derrota!

Sou como a caixa de Pandora:
Espalho tristeza em teu coração,
.Males, e também solidão...
Eu me chamo Isadora!

Lembro do que disse Otávio,
Meu primo, filho da tia Maria.
Enquanto eu falava, ele dizia:
“O amor é sentimento volátil”

Mas não é esse o nosso caso!
Guardo muitos amores ainda
.E mesmo assim, sozinha,
Quero deitar-me ao teu lado.

De ti não irei esquecer
Assim como de meu perfume,
.Tu lembras, nesse negrume.

Adeus, até mais ver!


Caroline Mendes

A virgem Pandora segurando a famosa caixa
(pintura de Joseph Lefevbre, 1882)

4 comentários:

Márcio Vandré disse...

Caixa de pandora.
Apesar de ela trazer todos os males, no fundo havia a esperança.
E nunca devemos perdê-la. :)
Um beijo!
Belo poema!

mateus disse...

Bacana...
lembrei de uma amiga.

liláh disse...

nossa que lindo isso!
suas postagens sao maras,sério mesmo.
da uma passada la no meu,postagem nova.
beeijo

Lucas Vallim disse...

Ótima poesia!