quarta-feira, 29 de abril de 2009

O cervo e o leão

Um cervo premido pela sede foi atrás de uma fonte. Ao se abeberar, viu seu reflexo na água. Ao mesmo tempo que tinha orgulho dos seus chifres que se esgalhavam, mortificava-se com as pernas finas e frágeis.Ao ver surgir um leão, parou de pensar. A perseguição começou.O cervo levou vantagem por se distanciar muito do leão, pois a força dos cervos está nas pernas e a dos leões no coração. Enquanto estava em campo aberto, o cervo manteve uma distância salvadora. Mas, ao entrar num bosque, os chifres se emaranharam nos galhos das árvores; interrompida a fuga, ele caiu nas garras do leão. Quando estava morrendo, disse a si mesmo:

- Pobre de mim! Eu achava que minhas pernas me atrapalhavam e foram elas que me salvaram; acreditava em meus chifres e eles me traíram.

Assim acontece muitas vezes, quando o perigo nos ronda. O amigo em que não acreditávamos nos salva, e aquele com que contávamos nos trai.


ESOPO
Fábulas L&PM Pocket, pág 46.

5 comentários:

Lucas Vallim disse...

Nossa! Realmente, muito boa sacada! E muito bom texto também, gostei muito!

mateus disse...

Situações inesperádas sempre acontecem,as vezes acreditamos em algo que não nos serve em nada.

Rebeca disse...

Adoro fábulas!
E tenho esse livro: 'As fabulas de Esopo'.
Parabens pelo blog!
Beijinhos :)

Eu amo a E.Y. disse...

Poxa, impressionante, outro dia estava pensando nisso.

Fico pensando tanto na EY e, de repente, posso não estar vendo outra pessoa que poderia se revelar tão surpreendente quanto ela.

Mas falar é fácil, da boca para fora. Quando entra o coração, tudo muda de figura.

Beijos!

Adriano Ferreira, CM disse...

maquiavel, acho que inspirado em esopo, dizia: "traze seus inimigos para perto de ti e quanto a teus amigos, nunca dê as costas a eles".

acredito que ambos, esopo e maquiavel tinham razão. nos resta escutar os antigos com respeito e admirração.

abraço