domingo, 13 de setembro de 2009

À um pássaro - Caroline Mendes

À um pássaro


Voe, meu pássaro

Agora livre tu és,

Longe desta gaiola 

Que te prendia os pés


Tu nascestes para voar

E não ficar preso a mim 

Sei que sou gaiola estreita

Então seja feliz assim.


Porém nunca esqueça

Que minha porta aberta estará

Para quando cansares da liberdade

E quiseres em mim morar.


Caroline Mendes

5 comentários:

Daniel A. S. disse...

Simples e bonito, gostei.

Um abraço!

http://daniel.a.s.zip.net

Rodox disse...

Boa poesia para reflexão. Matou a pau aqui:

Para quando cansares da liberdade

E quiseres em mim morar.

As vezes parece q temos que dizer isso pra alguem principalmente os namorados e namoradas da vida que pensa que um relacionamento é uma prisão. Bom, vim aqui também para agradecer a sua visita no proibidão, abraços e volte sempre!

Lucas Vallim disse...

Cansar da liberdade? Difícil, difícil. Linda poesia.

mateus disse...

Engraçado e confuso...
O passarinho quer a libertdade, uma gaiola o prende.A gaiola quando ver a libertada do passarinho fica triste, mas o passarinho nenhuma emoção demostra.
Mas o que eu quis dizer foi: a gaiola queria a feliciade do passarinho, mas a felicidade da gaiola é a tristeza do passarinho pq ele estará preso junto a gaiola!
Desculpe acho que falei besteira(deve ser a noite) mas pode ter sentido para mais alguem alem de mim oO

henrique disse...

lindo lindo