terça-feira, 1 de setembro de 2009

Quebra Cabeça - Caroline Mendes

Quebra cabeça

I

O meu quebra cabeça
Veio com um defeito
Sempre falta uma peça,
Nunca há jeito!

Se some a peça do céu,
No outro dia, falta a do mar.
Ou a do carrossel...
Não há como terminar!

E a peça que desaparece
Quando acho, outra se perde
E assim o jogo permanece

Sempre inacabado
Mas é o único que tenho,
Vou montando bem calado.

II

Eu não posso ignorar
Quando isto me acontece:
As peças movem-se, loucas.
E vão para onde bem querem.

Sei que posso controlá-las
Mas às vezes é difícil.
Penso em desistir
E guardar todas elas.

Mas o pior é quando
Tudo parece completo
E é então que vejo
Que há um erro no projeto!

III

Mas afinal de contas
Estou sendo pessimista
Pois há de ponta a ponta
Peças entrelaçadas, amigas.

É preciso saber aceitar
Que apareçam as lacunas
E também saber amar
As peças que já estão juntas.


Caroline Mendes

4 comentários:

Cαяol Dιαs disse...

Que poema gracioso e bonito. Amei!!!!

Márcio Vandré disse...

Quebra-cabeça é essa vida.
Às vezes um verdadeiro jogo de paciência.

Bom tê-la escrevendo.
Um beijo.

Yo Carmo disse...

Querido(a) amigo(a) avassalador(a)....
Quanto tempo,não é mesmo?
Bem, temos 6 selos de reconhecimento para vc!
Vem buscar, vem!

mateus disse...

Nossa, o poema parece um tragetória de vida.