terça-feira, 19 de maio de 2009

Medo - Caroline Mendes

Medo

Essa inquietação que agonia
Sufoca a alma receosa
Que, abalada, ruidosa,
Grita por calma, harmonia.

Esse sentimento concreto
Diante de um perigo
Deixa o coração ferido
Sem nem paz por perto.

Mas ele pode ser precioso
Se nos implica proteção.
Cuidamos do que é nosso,

Do que temos afeição.
Que é a vida, o bem amoroso
E também o nosso pão.


Caroline Mendes

8 comentários:

José disse...

hA! o bem amoroso é tão bom.

Blog do FejauM disse...

Sim..cuidar do que é nossa é viável...faz com nossa segurança exista,nem que por alguns segundos..


=]

Maria Luísa disse...

nem sei oq falar...
mto bom o poema!!

Moça do Fio disse...

Medo.

Acredito que ele nos poupa de passar por algumas situações chatas... ele nos serve de alerta. Só não pode nos impedir de viver o que queremos.

Gostei da sua poesia.

Beijo.

mateus disse...

Nunca tinha pensado no medo como algo necessário.
Nos deixa alertas, e alertas nada acontece

mateus disse...

Não precisa aceitar!!
mas da uma olhada nesse blog achei muito da hora, nao sei se vc ja conhce, mas é show!!!


www.vovoneuza.blogspot.com

BIANE LIMA disse...

Ei!
Indiquei seu blog para receber dois selos.
Passa no meu para pegá-los e ver as regras.
bjO!
www.naddademais.blogspot.com

punXpiD3r disse...

adorei.mais um lindo soneto teu.Escreves muito bem moça.Falando em sonetos ,foi graças aos sonetos que você posta aqui que eu conheci Florbela Espanca,não deu outra:me apaixonei
Um grande beijo Frô